Páginas

1 de abr de 2013

1º de abril


Dia da mentira e do deus nórdico, Loki, que agora é famosão por causa do filme Thor e dOs Vingadores.

Reza a lenda, (e a agendinha antiga que eu tinha, da Alemdalenda), que hoje você pode escolher um desejo seu e mentir para três pessoas, dizendo que já realizou esse desejo. Se as três pessoas acreditarem, Loki realizaria seu pedido como recompensa. Vish.

Andei dando uma lida por aí, e Loki parece ser meio gigante, meio deus, ser relacionado com o elemento fogo, ter a capacidade de mudar de forma, além de, claro, ser o troll mais famoso entre os deuses. 

Diferentemente do filme, a informação que rola nos respeitáveis sites pela internet (sim, tenho livros. tenho emprego também, ao invés de tempo. nemli), é que Loki era respeitado por Thor e Odin, e até ajudou Thor a recuperar aquele martelo dahora que ele tem, quando foi roubado. Algumas fontes falam que na verdade as brincadeiras de Loki não eram malignas ou perigosas, atribuindo a ‘fama de mal’ ao cristianismo.

E quem aí não lembrou do filme O Máscara? :D

Achei informação sobre as origens do dia da mentira aqui nesse Brasil: Circulou um periódico em Minas Gerais chamado A Mentira. Ele foi lançado em 1º de abril de 1848 e deu a notícia falsa da morte de Dom Pedro. Foi desmentido no dia seguinte, mas A Mentira durou até 14 de setembro de 1849. Encerrou o trabalho chamando os credores para acertar as contas no 1º de abril do ano seguinte em um lugar que não existia. Éé Brasil.

E não seja um chato; rola uma superstição de que quem não aceita as brincadeiras vai sofrer com má sorte! Dizem também que quem cair numa lorota de uma moça bonita pode se casar com ela (se isso é boa ou má sorte não me cabe dizer).

Dia bom pra tirar da rotina chata, com brincadeirinhas. Apóio. 

Imagem da Wikipedia: Loki com sua invenção, a rede de pesca; figura de um manuscrito islandês do século XVIII

13 de out de 2012

Rainha de Espadas stalker

Coincidência ou não, achei legal que, quando tirei a minha carta do dia lá no Personare saiu justamente a Rainha de Espadas. Um dia depois de eu resolver voltar a ativa com o blog! (Quem aí tem medo do Personare?) A Rainha anda me seguindo: ela apareceu também no aplicativo do facebook, o Daily Tarot Card. Eu hein.



MANTENDO-SE FIEL AOS PRÓPRIOS IDEAIS



A Rainha de Espadas emerge do Tarot como arcano de aconselhamento neste momento de sua vida, Luciana. A mensagem aqui é clara: seja fiel aos seus ideais, não se contente com pouco. Avalie criticamente o ambiente e corte todas as pessoas e situações que não servem mais em sua vida, sobretudo pessoas que você não avalia como construtivas, afinal todas as relações se pautam numa boa troca. É momento de você dar exemplo aos outros, através de sua lealdade, integridade e da capacidade de suportar eventuais sofrimentos sem se deixar abater. Você terá resistência emocional para lidar com algumas situações difíceis. Procure conversar com mulheres mais velhas que já passaram por coisas parecidas com aquelas que lhe incomodam.
Conselho: Mantenha seu nível de exigência alto, não se contente com pouco.



12 de out de 2012

As cartas na terapia.


Dei uma arrumada no visual do blog! E para estrear resolvi postar esse texto que escrevi já faz um tempo!


Muito além de ser apenas um meio de ver o futuro, as cartas do Tarot podem ajudar em terapias e no processo de auto-conhecimento.

O Tarot é conhecido da humanidade provavelmente desde o século XVI. Atualmente, quando o assunto aparece, é acompanhado da imagem de uma cigana cheia de anéis prevendo o futuro amoroso das pessoas. Pessoas céticas associam o tarot ao charlatanismo. Os curiosos querem apenas saber se tem um amor ou um novo emprego chegando. Mas há quem veja no tarot muito mais do que um oráculo.

A Taroterapia é um método que usa as cartas do tarot para auxiliar no auto-conhecimento de pacientes e na cura de seus problemas psicológicos. Geralmente é associada à terapia com florais, outra terapia alternativa que usa essências de flores.

Como funciona?

Na taroterapia são usadas 22 cartas, chamadas de Arcanos Maiores. Cada uma dessas cartas possui uma ilustração que simboliza cada estágio da vida das pessoas, como a infância, a adolescência, amores, problemas e situações de mudanças. Os desenhos das cartas são ricos em significados; a água, a grama, e até mesmo as cores usadas têm um por que. É um prato cheio para estudantes de semiótica e psicólogos.

Na terapia, o paciente se concentra e tira uma carta, que mostrará a raiz do seu problema. O estudo dos símbolos e da mitologia que ilustra a carta pode mostrar também uma possível solução. A carta dos Enamorados, por exemplo, mostra que a pessoa se encontra numa fase de dúvidas, em que deve fazer uma escolha. Ela aconselha a não adiar uma decisão, pois há o risco de perder o direito de escolha pela demora.

A teoria mais conhecida que explica o funcionamento do tarot é o princípio da Sincronicidade. Carl Gustav Jung a explicou como uma força (desconhecida) que liga fatos interiores (sonhos, pensamentos ou devaneios) com fatos exteriores (realidade física). Desse modo, quando a pessoa se concentra no problema, a carta tirada é a expressão física do pensamento. O tarot incentiva o auto-conhecimento, fazendo o paciente se voltar para dentro e se auto-analisar. Apesar de não haver comprovação científica para essa teoria, não há misticismo nenhum na taroterapia. As cartas, na verdade, são arquétipos presentes no inconsciente coletivo. Seus símbolos mostram o mais profundo de nossa psique e representam as fases comuns da vida, que todos passamos.

Leonardo Chioda é tarólogo e mantém um site sobre o assunto, o Café Tarot. Ele faz ligações interessantes das cartas com nosso dia-a-dia e até com filmes e arte em geral. O tarólogo acredita na importância de Jung na explicação do Tarot. “Toda a literatura tarológica, quando não estigmatizada por teorias esotéricas sem fundamento, vale-se da sincronicidade como a mais possível prova de sua funcionalidade”, diz.

Sobre a Taroterapia, Leonardo acredita que as cartas ajudam no diagnóstico inicial, mas que não devem ser a única forma de tratamento. “Sem dúvida é uma ferramenta importante, mas pressupõe o acompanhamento médico, de profissionais qualificados.”

O problema é que as pessoas tendem a relutar a aceitar a ajuda desse método tão diferente. As cartas ainda são vítimas de preconceito de gente desinformada.

Chioda acha que “O tarô é e vai continuar sendo visto com preconceito devido a alguns fatores, entre eles a falta de seriedade do indivíduo que julga o oráculo sem conhecê-lo e as ilusões que o misticismo barato impõem às cartas -"traz o amado em 5 dias", "resolve problemas de saúde e dinheiro" e revela o futuro com detalhes. Quando as pessoas percebem que foram enganadas, a falsa vidente desaparece e quem leva a culpa são os búzios, os astros e os arcanos” conclui.

Presente na arte, na semiótica, na psicologia e na própria psique humana, o tarot é um instrumento rico e interessante para qualquer um que souber e quiser utilizá-lo. Basta abrir a mente e esquecer antigos preconceitos.

Fontes consultadas:

O Tarô Mitológico, Juliet Sharman-Burke e Liz Greene
www.taroterapia.com.br
www.clubedotaro.com.br
www.cafetarot.com.br
Matéria publicada na revista Sonhos, Futuro e Magia, edição nº15


2 de fev de 2011

Tendo um treco!


O tema agora é: Tendo um treco! Arcanos que aparavoram...
Você é um bom oraculista, conhece seu instrumento, tiradas, símbolos... Mas, sempre tem aquela carta, aquele signo que você não queria que estivesse alí. Então, perguntamos para a primeira blogagem coletiva de 2011: qual arcano te faz ter um treco quando aparece na leitura?


Oê! Eis que mais uma vez participo de uma blogagem coletiva da Pietra e da Luciana! Atrasada, mas participo!

Quando comecei a pensar no assunto, considerei o naipe de espadas. Só que as cartas de espadas me dão mais um frio na barriga do que um treco.

Daí apareceu na minha cabeça aquela cartinha chata demais... No Tarô Mitológico, é aquela carta de uma mocinha com cara de enterro, à noite, descendo por um caminho que só pode dar num lugar de merda. O 8 de copas. Pois é.

Sempre que ela aparece num jogo pra mim é tipo: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA não não não, tá errado, não me concentrei direito, NÃO QUERO!

A idéia de perda, de que tudo que andei fazendo não deu em nada. A perda da esperança, ter que admitir o fim. Sabe aquela sensação de 'não tem mais jeito', então pára de insistir?! 

E quando sai pra outra pessoa? Eu não sei dizer pra pessoa que ela está definitivamente ferrada! Eu ainda tiro tarot apenas pra alguns parentes e amigos, ainda estou aprendendo. Minha maior dificuldade é essa: como é que digo pra criatura com olhinhos brilhantes na minha frente que o coração dela vai quebrar em pedacinhos?
AAAAAAAAAA, cartinha chata



6 de dez de 2010

Harry Potter

Vocês já acharam um deck de tarot do Harry Potter?
Achei um projeto; ainda não está pronto. Mas dá pra conferir umas cartinhas já:

http://www.nasubionna.net/tarot/

lindão.

24 de nov de 2010

Porque tem dias que só Café resolve

Eu adoro café!
Compartilho aqui então algumas coisinhas úteis sobre ele.

Ainda existe aquela dúvida se o café faz bem ou mal à saúde, mas eu sempre defendo o cafezinho. Recentemente estudos mostram que o café vai muito além de ser útil pra "dar uma acordada". Ele previne a depressão, a diabete em adultos, doenças cardiovasculares, inibe o desejo de consumir álcool e drogas ilegais, possui elementos anti-cancerígenos, NÃO causa dependência, NÃO dá gastrite (apesar de dever ser evitado por quem já tem) e nem causa osteoporose.

Além de ser uma delícia.

Na magia ele também pode ser muito bem usado. Tudo que você fizer na cozinha pode ser imantado com intenção mágica, até mesmo o cafezinho que você faz toda manhã.

O elemento que rege o café é o Fogo, e o planeta, Marte. Ele afasta a negatividade e depressão, e dependendo da sua criatividade, pode trabalhar o amor, a prosperidade, a saúde. Eu gosto muito de usar o café para tirar aquele desânimo da casa. Uso aquele cheirinho bom do café recém passado como um incenso purificador. A energia da casa melhora e as pessoas se sentem mais confortáveis.

Gosto também de usar a canela no café, elemento que também atrai amor ou dinheiro (como tudo em magia, é muito importante o foco, a intensão). Lembrando que o açúcar que você usa para adoçar também é um ingrediente para amor.

Algumas dicas para preparo do café:

O coador de pano é o mais indicado. O sabor do café fica melhor, além de você não ter que gastar vários filtros de papel. O meio ambiente agradece.

Use água filtrada. Desligue o fogo antes da água ferver.

Faça pouco. O café não deve ser esquentado. Deve ser consumido em menos de três horas pelo menos.

Se usar garrafa térmica, coloque água fervendo antes, para garantir que a bebida fique quente mais tempo

Ao despejar a água no pó, faça lentamente, com um fio de água, contornando o filtro e depois despenjando apenas no centro do pó. (deu pra entender? rs)

Agora sim, a parte legal: Receitinhas!

ROSCA NATALINA DE CAFÉ

Ingredientes:
Massa:
1/4 xícara de água morna
15 g de fermento biológico
2 colheres de açúcar
1 xícara de leite quente
2 colheres (sopa) de margarina
2 colheres (chá) de sal
6 1/2 xícaras de farinha de trigo
2 ovos
1 xícara de café forte
1 colher (chá) cravo em pó
1 colher (chá) de canela em pó
Recheio:
1/2 xícara (chá) de açúcar
1 colher (sopa) manteiga
1 colher (chá) de cravo em pó
1 colher (sopa) canela em pó
1 xícara (chá) de frutas cristalizadas
1/2 xícara (chá) de uvas passas

Modo de preparo:
Junte 1 xícara de leite com a margarina e ferva, deixe esfriar e adicione o café bem forte. Dissolva o fermento na água com as 2 colheres de açúcar. Deixe descansar por 15 minutos. Bata os ovos e misture bem com o fermento, o leite, o café, o sal e a farinha trabalhando a massa. Cubra e deixe crescer por 20 minutos. Depois divida a massa em 3 partes e forme 3 rolos de 40,5cm de comprimento por 10cm de largura. Espalhe nas partes, a farofa de açúcar, manteiga, cravo em pó e canela em pó e, por cima as frutas cristalizadas e uvas passas. Feche as partes em forma de rocambole e transmar ogoos, pincele com ovo e deixe crescer. Leve ao forno para assar por 40 minutos.

DIANA COFFEE

Ingredientes:
2/4 de café
1/4 de gin
1/4 de cherry brandy

Modo de preparo:
Bater e servir em taça de coquetel.
Pulverizar com noz-moscada.

AMOR-PERFEITO

Ingredientes:
2 xícaras (chá) de leite quente
1 tablete pequeno de chocolate meio amargo picado
3 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) bem cheia de café em pó
1 colher (chá) rasa de canela em pó
3 colheres (sopa) de creme de leite

Modo de preparo:
Ferva o leite, junte o pó de café e deixe a infusão por 5 minutos. Coe, volte ao fogo, adicione o chocolate e o açúcar e mexa até derreter. Retire do fogo, acrescente a canela, o creme de leite, bata no liquidificador até ficar espumante. Sirva quente ou gelado.

SUSPIROS DE CAFÉ

Ingredientes:
4 claras
10 colheres (sopa) de açúcar
5 colheres (sopa) de café

Modo de preparo:
Bata as claras com o açúcar e o café em banho-maria até obter um suspiro firme. Retire do banhomaria e bata até que esfrie. Coloque num saco de confeitar e faça suspiros sobre papel de lanche numa assadeira. Leve em forno baixo pré-aquecido por uns 20 minutos. Deixe secar com a porta do forno entreaberta por uns 15 minutos. Rende cerca de 130 suspiros.

Para mais receitas de café:

http://www.abic.com.br/scafe_receitas.html

Links Consultados:

http://bruxaria.net

http://www.abic.com.br/

15 de nov de 2010

Onde Está a Imperatriz?



"Se arquétipos são do conhecimento construído pela humanidade, eles estão, certamente, em tudo que nos cerca: da observação dos ciclos aos movimentos mais humanos como as celebridades e as necessidades de agrupamento. Então, convidamos todos os oraculistas a nos contar onde está A Imperatriz? Onde está seu reinado? Sua força fêmea? Onde manifesta-se seu jardim? O que nasce de sua barriga fértil? Onde moram suas manifestações mais físicas? Onde está a Imperatriz?"

Sempre que eu penso na Imperatriz as palavras “mãe” e “criação” vêm na minha cabeça.
Meu primeiro contato com ela foi com O Tarô Mitológico. Eu era criança ainda e esse tarô era da minha tia Berenice. Eu era fascinada por aquelas cartas. Minha tia tinha inventado essa brincadeira, em que tínhamos que inventar uma história conforme tirávamos as cartas.
A Imperatriz é a criação, abundância; idéias transformadas em realidade. Tudo o que criamos é obra Dela. Seja a criação de ser vivo, seja uma comida, um trabalho de conclusão de curso, um livro. Ela é a matéria, a realidade. O jardim que cresce, bem cuidado, pelas nossas mãos. A Mãe que não só dá a vida, mas que cuida, nutre. Me parece que seu oposto seja a carta da Lua, de Hécate; o mundo dos sonhos, da fantasia, ilusões.
Para mim a Imperatriz está nas bruxas de cozinha; alquimistas, nutridoras que são. Está nos momentos de maior criatividade, quando ousamos tirar idéias do papel. Quando plantamos nossas ervinhas no jardim, cuidamos dos nossos animais e de quem mais precisar de cuidados, mesmo que seja através de um chá quente e uma conversa. Está nos cuidados com nosso corpo, nossa casa.
Em mim o lado negro da Imperatriz impera muitas vezes na forma da relutância em aceitar mudanças, na estagnação. Quando estou mal, nada se cria. Me fecho.
Na arte eu a percebo sempre. Alguém já assistiu à série da BBC: Lark rise to Candleford? Lindo de morrer. A Imperatriz está na mãe da personagem principal, Emma. A série é uma história de época, do século 19, em que uma garota, Laura, sai do vilarejo (Lark Rise) e vai para a cidade (Candleford) trabalhar nos correios. Os episódios são leves e bonitos, sempre com finais felizes. Costumes pagãos estão presentes com simpatias e rituais. Um dos episódios mais bonitos é um em que se passa na época das colheitas. Recomendo muito.
A Imperatriz sempre aparece nos meus jogos para anunciar uma gravidez. Ela veio falar da gravidez da minha prima, e anos depois, a de uma amiga minha da faculdade. Nunca me identifiquei muito com esse arcano; sempre foi para mim como alguém que influenciaria minha vida ou a Grande Mãe me protegendo e/ou inspirando. De qualquer forma, a Imperatriz para mim está em tudo; na vida e na morte.
Dando uma olhada na internet atrás de imagens da Imperatriz, achei esse site lindinho que adorei. Também descobri o Tarô da Jane Austen, que não sabia que existia e que agora está na minha listinha. 

13 de out de 2010

Blogagem Coletiva: Quem é o Rei da sua Casa?



Rei de Espadas?
Então que não tem rei nenhum reinando na minha casa. A não ser que eu conte o Frajola, meu gato. Nesse castelo só reinam rainhas. 
É claro que todo mundo quer um rei de Copas, super romântico. Mas que eu sinto atração pelo senhor de Espadas, eu sinto. Eu acho que eu gosto de sofrer.
Eu sei que eu não ia ter pique para um rei de paus. Muita coisa ao mesmo tempo, muita agitação... Eu também acho que o rei de Ouros não ia conseguir conviver comigo, nem eu com ele. O que acontece é que eu sempre considerei inteligência um afrodisíaco. O que mais me impressiona, confesso, não é ganhar buquês de flores e cartinhas melosas de amor...
Na verdade, o que eu aprecio mesmo é uma conversa inteligente. Até me arrepia. Principalmente quando a pessoa não concorda comigo e sabe argumentar.
O rei de Espadas passa essa imagem para mim. Usuário do bom sarcasmo, honesto, inteligente. Nem me importo com aparente aspereza. Não me machuco com a honestidade jogada na minha cara. Eu não preciso ouvir "eu te amo", se a pessoa me mostra isso com gestos. Eu não quero um cavaleiro no cavalo branco. Eu quero um amigo, acima de tudo. 
Apesar da atração pelo rei de Espadas, duvido que ele tenha paciência comigo e meu jeito complicado de ser. Acho que as minhas flutuações de humor acabariam fazendo ele me mandar para o inferno.
Só mesmo um rei de Copas, todo compreensivo, todo sensível para entender um pouco do que se passa na minha cabeça. Ao mesmo tempo, como Rainha de Espadas, será que eu ia ter paciência com esse ser bonzinho? Acho que eu poderia muito facilmente magoá-lo.
Peguei um trauma dessa coisa de boazinha, e não consegui achar um meio termo entre ser gentil e grossa. Daí virei esse caos. Ainda bem que existem florais, vamos combinar. Mas sei lá. O estereótipo que eu tinha criado do rei de Copas na minha mente parece ser bom demais para ser verdade.

Não sei. Eu sou uma eterna vítima de amores impossíveis e platônicos. De novo me sinto como Atalante, só aceitando se casar com aquele que for melhor que ela. Tenho que confessar que está ficando cansativo reinar sozinha.

Recomendo esse texto do Leonardo Chioda.

5 de out de 2009

A Rainha e o TCC

Eu tinha planejado escrever o primeiro post com uma explicação do porque de eu ter escolhido a carta da Rainha de Espadas para nomear o blog. Mas estou na etapa final da produção do meu TCC, e não consigo pensar em mais nada. É sobre ele que eu vou escrever então.

O trabalho de conclusão de curso de jornalismo é uma das poucas coisas bacanas que tive que fazer durante toda minha vida universitária. Isso porque temos liberdade para escolher qual o tema do projeto e qual a mídia. (tv, rádio, foto, jornal, etc).

Meu grupo decidiu fazer um livro de fotojornalismo com fotografias das mulheres cortadoras de cana aqui da região de Araraquara. Esse fim de semana fomos concluir a produção das fotos e fazer algumas entrevistas. Entramos na casa de uma família e fotografamos toda a rotina da cortadora; o preparo do café da manhã e da marmita, ela se vestindo, o marido acordando um pouco mais tarde. (ele só acorda, se veste e toma café. A marmita e a bolsa dele já estão prontinhas, graças à esposa).

Entrevistamos uma senhora de 74 anos que cortava cana. Durante a entrevista, ela não sentou um minuto. Andava para lá e para cá, trazia bolachinhas e refrigerante pra gente, e ria. Exemplo de mulher, ela. Nunca pisou em uma faculdade, nunca defendeu uma tese, mas conversar com ela era mais inspirador do que conversar com a maioria dos meus professores. Uma mulher sábia, que dá valor à vida, não se queixa.

Eu tenho lido sobre a carta da Rainha de Espadas porque me sinto atraída por ela. Li que ela fala de solidão, uma certa frieza, uma face intelectual e estrategista. Essas coisas não são tão evidentes nas cortadoras de cana. Elas são mulheres vaidosas, cheias de amigos. No entanto, olhando as fotos agora mais atentamente, percebi que a cortadora de cana pode sim, e muito bem, representar a Rainha de Espadas. Ela é uma mulher guerreira, independente. Luta pela sua sobrevivência.
No Tarô Mitológico de Liz Greene e Juliet Burke, a Rainha de Espadas é representada pela rainha mitológica Atalante, a caçadora. Seu nome significa "Indomável" e ela é filha de um rei, Íaso, que não queria filhas. Ele abandonou-a e a deusa caçadora Ártemis a protegeu. Assim como a deusa, Atalante andava pelos bosques armada. (o que lembra as cortadoras de cana, que andam pela plantação com o facão) A Rainha de Espadas é virtuosa e leal, capaz de suportar sofrimentos sem se abater.
Comparando a carta e a vida dessas mulheres, podemos encontrar as semelhanças. Elas não cursaram nenhuma faculdade, mas são donas de uma sabedoria que conquistaram ao longo da vida, trabalhando duro. E talvez a solidão e frieza delas seja interna, resultado das injustiças que sofreram na vida. Por fora são alegres (em todas as entrevistas que fizemos, elas se mostram alegres, felizes), mas o que elas sentem e pensam quando estão sozinhas, durante o corte da cana, longe dos filhos e do marido?

Além disso, como a Rainha de Espadas, que mostra características geralmente associadas aos homens, as cortadoras estão inseridas num mundo tipicamente masculino; exercem um trabalho braçal, duro, que exige força física, resistência. Esse trabalho é o oposto do que a sociedade associa às mulheres, como a delicadeza, a fragilidade, o depender de homens para esforço físico. No entanto, ouvimos relatos de que muitas mulheres cortam mais cana que os homens! Posso dizer que para mim, elas são todas rainhas.
Foto: Cristian Paiutta.
Ele está participando do concurso "África em Nós" com algumas fotos desse projeto. Acesse http://www.africaemnos.com.br/ , digite Cristian Paiutta, e vote!